A manga é um fruto grande, de cor amarela e casca com tons que variam entre o vermelho e o alaranjado, apresenta sabor doce e textura fibrosa.

ORIGEM E HISTÓRIA

A árvore de manga (Mangifera indica L.) é da mesma família (Anacardiaceae) do caju, do pistácio e, curiosamente, da hera venenosa. Esta é uma família numerosa com 73 géneros e cerca de 600 a 700 espécies, distinguidas pela casca resinosa (da planta) e óleos cáusticos nas folhas, cascas e fruta.

Nativa da Ásia, pensa-se que a origem mais precisa seja na região do nordeste Indiano e Birmânia, tendo-se espalhado pelo sudeste Asiático e Malásia há mais de 1500 anos. Chegou ao continente africano há cerca de 1000 anos e foi trazida para a Europa pelos portugueses e, um pouco mais tarde, pelos ingleses.

Como tantos outros frutos, a manga foi levada para as Américas pelos colonizadores. Chegou ao Brasil no século XVII e à Flórida no final do século XIX. Os comerciantes portugueses e espanhóis levaram mangas da Índia para a África Oriental, Filipinas e México, seguindo daqui para o Havai.

Na Flórida, a produção cresceu muito durante o século XX, mas, no final do século, a urbanização, congelamentos e furacões reduziram o cultivo de 7000 para 2500 hectares. Em 1992, o furacão Andrew reduziu a área de produção da Flórida para 1000 a 1500 hectares, mantendo-se nestes valores até hoje. Apesar da pequena escala, a indústria da Flórida tem sido extremamente valiosa para o cultivo de manga em todo o mundo, devido à investigação que realiza e ao desenvolvimento de cultivares.

CLASSIFICAÇÃO
TAXONÓMICA

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Sapindales
Família: Anacardiaceae
Gênero: Mangifera

A manga (Mangifera indica L.) é dos frutos mais importantes do ponto de vista económico na Anacardiaceae. Outros membros importantes desta família incluem o caju, o pistácio e a ameixa espanhola, com alguns representantes em regiões temperadas. Exemplos de outros parentes distantes de manga são a gandaria (Bouea gandaria), a marula (Sclerocarya birrea), o imbu (Spondias tuberosa), a pitaia ou fruta-dragão (Dracontomelum spp.).

A região fitogeográfica estende-se do sul da Península Malaia ao arquipélago de Bismarck, a leste da Nova Guiné.

Existem duas grandes classes de cultivares de manga: indochineses e indiano-ocidentais. O grupo indo-chinês caracteriza-se pela fruta achatada, em forma de rim e um pouco alongada. Estas mangas possuem epiderme de cor verde-amarelo ou amarela e pouco ou nenhum vermelho.

Os cultivares das indústrias indiano-ocidentais são mais arredondados e gordurosos e, geralmente, têm um rubor vermelho brilhante na epiderme. Muitos dos chamados “cultivares da Flórida” são do tipo indiano-ocidental, selecionados ou criados na Flórida, como “Haden”, “Tommy Atkins”, “Kent” e “Keitt”.

BOTÂNICA

Planta
A mangueira é uma grande árvore de longa duração com um dossel largo e arredondado, geralmente de 6 a 45 metros de altura. As folhas são lanceoladas a lineares (8 a 40 centímetros de comprimento e 2 a 10 centímetros de largura), verde escuras, com veias coloridas proeminentes e margens inteiras. As folhas emergentes são inicialmente bronze-vermelho e podem persistir vários anos.

Flores
As flores são minúsculas (menos de um centímetro), especialmente quando comparadas com o tamanho da árvore e do fruto, e normalmente vermelhas amareladas. As panículas nascem em brotos 1 a 3 meses antes da floração, processo desencadeado por baixas temperaturas ou condições sazonalmente secas, e podem conter entre 300 e 6000 flores. Há dois tipos de flores: hermafroditas e machos. Entre 25% a 98% das flores são do sexo masculino, dependendo do cultivar e do hermafrodita restante.

Polinização
As mangueiras são consideradas auto-férteis e não requerem polinizadores, embora a investigação indique que alguns cultivares beneficiam da polinização cruzada. A polinização é alcançada por insetos selvagens e, em menor grau, por abelhas.

Fruta

As mangas são grandes drupas (entre 6 e 30 centímetros de comprimento e entre 100 e 2300 gramas de peso). O caroço central é grande, achatado e em forma de rim e contém um ou mais embriões amiláceos, constituindo até 20% do peso total do fruto. A epiderme tem cor amarela ou verde, com tons de vermelho/laranja em muitos cultivares e é mais espessa do que o habitual para drupas. A epiderme contém óleos que podem irritar a pele humana, particularmente em frutas não maduras. A polpa é de cor amarela alaranjada, fibrosa e, por vezes, adstringente. O fruto amadurece entre 80 a 180 dias após a floração.

A maioria dos cultivares indiano-ocidentais são monoembrionários, ao contrário dos cultivares indochineses que geralmente são poliembrionários.

A colheita inicia-se quando o ombro da fruta se alarga e começara a mudar de cor de verde para amarelo. O fruto é considerado maduro quando a polpa junto da semente muda da cor branca para amarelo.

As mangas devem ser colhidas antes de estarem totalmente maduras, caso contrário amolecem e caem da árvore. Devem ser manuseadas com cuidado para evitar danos. Depois de colhida, a fruta amadurece à temperatura ambiente, sendo posteriormente refrigerada. Mangas maduras mantém boa qualidade durante uma a duas semanas, quando refrigeradas entre 10 e 13 º C.

12-18 cm (Médio)
Formato: Oval alongado
Epiderme: Espessa e com toque de cabedal
Cor: Amarela com verde e amarela com vermelho-alaranjada.
Cor da polpa: Amarela
Características organolépticas: Fibrosa e doce

PRODUÇÃO MUNDIAL

 

A manga é uma fruta comum na maioria dos continentes, particularmente na Ásia e América Central e do Sul. A produção global de manga concentra-se principalmente na Ásia, mais precisamente na Índia (mais de 21 milhões de ton), na China (4 992 114 ton) e na Tailândia (3 791 208 ton) (FAOSTAT, 2018).

A produção de mangas tem vindo a crescer, contando, atualmente, com mais de 100 países com produção comercial. A produção mundial total de mangas ultrapassa os 55 milhões de toneladas (FAOSTAT,2018) e possui um papel fundamental na vida de muitas pessoas, não só por ser um alimento de elevada riqueza nutricional, mas também por constituir uma fonte de sustento económico.

Antes dos anos 60, as mangas não eram muito conhecidas entre os consumidores fora dos trópicos e não havia praticamente nenhum comércio da fruta em fresco. Nos últimos anos, as mangas tornaram-se bem estabelecidas no mercado global, quer como fruta em fresco, quer como produto processado. A procura mundial por mangas tem aumentado, especialmente em países temperados.

Existem muitas variedades de manga cultivadas em diferentes países. A Índia possui cerca de 1.300 variedades de manga (20 cultivadas comercialmente) e a Tailândia possui cerca de 100 variedades.

COMPOSIÇÃO
NUTRICIONAL

Do ponto de vista nutricional, a manga é rica em vitamina A, vitamina C e folatos e tem, conforme demonstrado recentemente pela investigação, muitos antioxidantes e fenóis. A tabela 1 representa a composição nutricional de 100g de Manga.
Tabela 2. Composição Nutricional por 100g de porção edível de manga.

Para (100g) % DDR
Energia (kcal) 59
Macronutrientes
Água (g) 83.5
Proteína (g) 0,5
Gordura Total (g) 0.3
Hidratos de Carbono Totais (g) 11.7
Fibra Alimentar (g) 2.9
Vitaminas
Vitamina A (Equivalentes de retinol, µg) 300 38
Vitamina D (µg) 0 0
Vitamina E (α-tocoferol, mg) 1 8
Vitamina B1 (Tiamina, mg) 0,04 4
Vitamina B2 (Riboflavina, mg) 0,05 4
Vitamina B3 (Niacina, mg) 0.5 3
Vitamina B6 (Piridoxina, mg) 0,13 9
Vitamina B12 (Cobalamina, µg) 0 0
Vitamina C (Ácido Ascórbico, mg) 23 29
Folatos (µg) 30 18
Minerais
Cinza (g) 0.5
Sódio (mg) 14 1
Potássio (mg) 120 6
Cálcio (mg) 9 1
Fósforo (mg) 10 1
Magnésio (mg) 13 3
Ferro (mg) 0.2 1
Zinco (mg) 0.1 1

Fonte: TCA – Tabela de Composição de Alimentos. Centro de Segurança Alimentar e Nutrição. Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. (Adaptado de: http://www.insa.pt). Dose Legal Recomendada Nacional, aprovada em Diário da República (http://www.apcv.pt/pdfs/legislacao/DL%2054_2010.pdf)

As mangas são uma das melhores frutas para consumo em fresco no mundo, mas também podem ser secas, desidratadas ou enlatadas.

Contrariamente ao saber popular, as mangas são mais ricas em vitamina C do que as frutas cítricas. Para além de consumidas frescas, são usadas em batidos, sobremesas, saladas ou mesmo cozidas. Cerca de 25% da produção de mangas destina-se a sumo, chutneys e outros molhos. O caroço pode ser transformado em farinha e a sua gordura pode ser extraída para substituir, por exemplo, a manteiga de cacau.

Historicamente, a manga era usada com fins medicinais para tratar diarreias, hemorragias, febre, hipertensão e hemorroidas.